Mostrando postagens com marcador sari. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador sari. Mostrar todas as postagens

Eu vou imitar a Novela Caminhos da india e você?


A origem do Sari é obscura, mas podemos dizer que é tão velho como a civilização indiana. Há 5 mil anos, o algodão já existia na Índia e era transformado em tecido. Uma das mais antigas representações de uma mulher usando um Sari remonta a 100 anos Antes de Cristo, numa terracota do período Shunga (200-50 AC). Deidades religiosas são mostradas com Saris em diversas pinturas e esculturas. Exemplos significativos são as esculturas da civilização Greco-Gandhara Indiana (50 AC - 300 DC), representadas em diferentes estilos de drapeados. Entre os deuses, semi-deuses e mortais representados nos murais das Grutas de Ajanta (final do século 5), há duas representações de mulheres usando Saris cobrindo todo o corpo.
O que compõe o Sari
O Sari é usado com duas outras peças de roupa: a Ghaghra (anágua sem pregas, que ajuda a manter o Sari na cintura), usada sob o Sari, e o Choli (blusa curta, que cobre o busto). Pode-se usar um acessório (broche) para manter juntas as pregas do Sari na altura dos ombros. Mas, sem dúvida alguma, o uso do Sari é considerado incompleto sem o Bindi (pequeno círculo colorido usado entre as sombrancelhas) e as jóias, principalmente o Churi (Bangles - inúmeras pulseiras em cada braço).
O Bindi vermelho é exclusivo das mulheres casadas, assim como as cores vivas: vermelho, laranja e amarelo. As mulheres solteiras usam cores mais suaves, como o azul ou o verde, sempre acompanhadas do Bindi, que as embelezam. Outra peculiaridade são os brincos colocados no nariz: os simples, apenas um botão, podem ser usados por todas as mulheres, mas os de argola, maiores, que são presos entre a cartilagem do nariz, são exclusivos das mulheres casadas.
As técnicas de fabricação do Sari
Mesmo hoje em dia, os Saris mais luxuosos, exclusivos e caros são aqueles feitos no tear. Confeccionar um Sari pode levar alguns meses e, às vezes, anos. As padronagens e os desenhos estampados nos Saris possuem o seu próprio significado, e indicam a região de onde provem. Os motivos mais comuns são os pavões, elefantes, papagaios, motivos florais, lótus e diamantes.
Há três técnicas principais: os Saris feitos no tear, os impressos e os bordados. Os impressos ou estampados podem ser feitos com blocos de pintura manuais, ou utilizando diferentes técnicas: roller printing, tie & dye, batik ou kalamkari. Há inúmeros estilos de Saris bordados - Kantha, Chikankari, Parsi, relacionados às diversas regiões da Índia.

Selo ouro

Selo ouro
circulo selo ouro no blog de croche da tita carre

Parceria

Parceria
parceria da editora minuano com a tita carre

Visite

Visite
melhor do artesanato no blog da tita carre