;
Mostrando postagens com marcador squares de crochet. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador squares de crochet. Mostrar todas as postagens

Uma flor com muitas camadas da cor de um Sari Indiano

Uma flor com muitas camadas da cor de um Sari Indiano


Uma flor com muitas camadas da cor de um Sari Indiano

Uma flor com muitas camadas da cor de um Sari Indiano

Uma flor com muitas camadas da cor de um Sari Indiano

Uma flor com muitas camadas da cor de um Sari Indiano



Eu já li este livro- O sari vermelho de Javier Moro,há muito tempo, é uma linda história de amor, e eu tinha que fazer o clichê de misturar uma flor vermelha com esta leitura. Eu teci a flor com barbante vermelho e tem 7 camadas de pétalas, você necessita somente acrescentar mais 4 camadas de pétalas, e em cada camada acrescentar o mesmo das anteriores que estão no gráfico, caso encontrarem dúvidas, deixem um comentário ou enviem um email para mim que as ajudarei a esclarecer, ah, e deixo a oração védica que está na abertura do livro.

E você sabe o que é um Sari?
O sári é um traje nacional das mulheres indianas, constituído de uma longa peça de pano que envolve e cobre todo o corpo. São utilizados cerca de 6 metros de tecido, como na foto abaixo:

Uma flor com muitas camadas da cor de um Sari Indiano
Mas voltando ao nosso assunto literário-artístico...
Adoro este escritor, já li outros de seus livros como Paixão Índia, As montanhas de Buda e tenho outros na minha lista a ler.

Uma flor com muitas camadas da cor de um Sari Indiano Javier Moro nasceu em Madrid em 1955. Desde jovem colabora com meios de comunicação espanhóis e estrangeiros. Trabalhou como investigador em vários livros de Dominique Lapierre e Larry Collins. Viveu 6 anos nos EUA, onde se envolveu em projetos de televisão e cinema e coloborou com Ridley Scott. É autor de Senderos de Libertad, El pie de Jaipur, Las montañas de Buda e, em 2001, Era medianoche en Bhopal, em colaboração com Dominique Lapierre. Uma Paixão Índia, a história da bailarina espanhola que casou com o Maharajá de Kapurthala, foi um dos grandes êxitos de crítica e venda dos últimos anos em Espanha e em vários outros países europeus, com tradução em dezessete idiomas, e que em breve será adaptado para cinema.
Para saber mais sobre o escritor acesse seu website .

Deixo a sinopse deste romance que inspirou a minha flor, abaixo:
Em 1991 um atentado tirou a vida de Rajiv Ganshi e o país perdeu seu maior protetor. Mas a morte de Rajiv não é o fim de um amor puro, que sobreviverá no coração de Sônia Ganshi, uma italiana que abandonou a terra natal para ficar ao lado de seu amado. Agora Sônia precisa ajudar a Índia, seu povo e sua política, a manter os ideais e os sonhos de uma grande nação.

Square Flor Central e a Filosofia em frases de Confúcio

Square Flor Central e a Filosofia em frases de Confúcio

Square Flor Central e a Filosofia em frases de Confúcio

Square Flor Central e a Filosofia em frases de Confúcio

O Square  flor Central eu fiz usando linha fina, mas já guardei e separei algumas ideias para com esse quadradinho, ah, se eu tivesse todo o tempo do mundo para crochetar...
Apesar do tempo distante em que viveu Confúcio esta frase se mantem atual, e deve muito ser lembrada no cotidiano.
"Mantenha a Fidelidade e a Sinceridade como princípios básicos".

Confúcio (chinês: 孔子, pinyin: Kǒng Zǐ, Wade-Giles: K'ung-tzu, ou chinês: 孔夫子, pinyin: Kǒng Fūzǐ, Wade-Giles: K'ung-fu-tzu), literalmente "Mestre Kong",1 (tradicionalmente 27 de agosto de 551 a.C. – 479 a.C.)2 foi um pensador e filósofo chinês do Período das Primaveras e Outonos.

A filosofia de Confúcio sublinhava uma moralidade pessoal e governamental, também os procedimentos correctos nas relações sociais, a justiça e a sinceridade. Estes valores ganharam relevo na China sobre outras doutrinas, como o legalismo (法家) e o taoismo (道家) durante a Dinastia Han34 5 (206 a.C. – 220). Os pensamentos de Confúcio foram desenvolvidos num sistema filosófico conhecido por confucianismo (儒家).

Porque nenhum texto é demonstrável ser de autoria de Confúcio, e as ideias que mais chegadas lhe eram foram elaboradas em escritos acumulados durante o período entre a sua morte e a fundação do primeiro império chinês em 221 a.C., muitos acadêmicos são muito cautelosos em atribuir asserções específicas ao próprio Confúcio. Os seus ensinamentos podem ser encontrados na obra Analectos de Confúcio (論語), uma coleção de aforismos, que foi compilada muitos anos após a sua morte. Por cerca de dois mil anos, pensou-se ter sido Confúcio o autor ou editor de todos os Cinco Clássicos (五經)6 7 como o Clássico dos Ritos (禮記) (editor), e Os Anais de Primavera e Outono (春秋) (autor).

Os princípios de Confúcio tinham uma base nas tradições e crenças chinesas comuns. Favorecia uma lealdade familiar forte, veneração dos ancestrais, respeito para com os idosos pelas suas crianças (e, de acordo com intérpretes posteriores, das esposas para como os maridos), e a família como a base para um governo ideal. Expressou o conhecido princípio, "não faças aos outros o que não queres que façam a ti", uma das versões mais antigas da ética da reciprocidade.

Algumas frases de Confúcio:

A preguiça anda tão devagar, que a pobreza facilmente a alcança.

O aluno de Tse Kung perguntou: Existe alguma palavra que possa ser a norma de toda uma vida? O mestre respondeu: Essa palavra é reciprocidade. E isso significa que não deves te comportar com os outros como não gostarias que os outros se comportassem contigo

O homem superior, quando em repouso em segurança, não se esquece de que o perigo pode vir. Quando em um estado de segurança, ele não esquece a possibilidade de ruína. Quando tudo estiver em ordem, ele não se esquece de que a desordem pode vir. ” Assim, sua pessoa não está em perigo, e os seus Membros e todos os seus clãs são preservados.

Uma Flor com um pedido de Paz e o MOTIVO da Guerra Árabe-Israelita

Uma Flor com um  pedido de Paz e o motivo da Guerra Árabe Israelita

Uma Flor com um  pedido de Paz e o motivo da Guerra Árabe Israelita

Uma Flor com um  pedido de Paz e o motivo da Guerra Árabe Israelita

Uma Flor com um  pedido de Paz e o motivo da Guerra Árabe Israelita

Uma Flor com um  pedido de Paz e o motivo da Guerra Árabe Israelita

A flor com 1000 Pétalas tecida em barbante cru e barbante amarelo foi feita para ilustrar mais um pedido de Paz aos povos que estão em Guerra, Israelenses e Palestinos, ainda que não caracterize uma guerra, e sim um genocídio, pois os Palestinos não possuem o mesmo Poder Militar de seu vizinho.
A guerra surgiu devido  a divisão da Palestina que estava sendo nesta época, administrada pelos Britânicos, e em 1947 pela ONU - Organização das Nações Unidas pelo Estado Judeu e o Estado Árabe tendo como fomentador a sensibilização da opinião pública com as sequelas de anos de crueldade e de judeus exterminados nos campos de concentração do Nazismo da Alemanha e também não esquecendo que os sobreviventes, não tinham uma terra para retornar e diversos países fecharam suas portas de entrada. 
Os judeus revindicam a Palestina desde 1897 e defendem que viviam lá até serem expulsos pelo Império Romano no século 1. As tropas Britânicas deixam a Palestina e os grupos sionistas agem para a criação de seu estado e em 14 de maio de 1948 foi oficialmente anunciada a criação de Israel, e os países árabes vizinhos não reconheceram o novo país - começa a Guerra entre árabes e israelenses que termina em 1949, com a vitória de Israel e ainda a ampliação de seu território.
E a partir deste conflito, hoje, Israel tem mais da metade do território reservado aos árabes no plano da "divisão" da ONU e os Palestinos estão sofrendo as consequências, sendo um povo maltratado. 
Essa região permanece em estado de guerra há quase 60 anos.

O livro que usei para fazer este post, o Diário de Berlim ocupada faz com que entendamos o que aconteceu no fim da Segunda Guerra Mundial, o sofrimento do povo alemão, o sofrimento do povo Judeu, o sofrimento do povo Russo, mostra que em uma guerra, todos sempre perdem...

A sinopse do Livro - Diário de Berlim ocupada - 1945-1948 - Andreas-Friedrich:
O nascimento da Guerra Fria e a divisão da Alemanha sob um ponto de vista pessoal e cotidiano. Este é o cenário de Diário de Berlim ocupada - 1945-1948, que apresenta a barbárie do pós-guerra pela visão alemã, num diário escrito no local dos fatos pela autora Ruth Andreas-Friedrich. Trata-se de um relato feito não por um historiador, mas por uma jornalista - que narra a derrota do país em 1945, a tomada de Berlim pelos russos e americanos e a nova realidade que surge. 

É na Berlim destruída e ocupada que Andreas-Friedrich recorda os acontecimentos: rua a rua e quase casa a casa, a cidade vira um campo de batalha e, depois da derrota, um amontoado de escombros. A guerra havia acabado, Hitler caído, começava uma outra guerra, em que era preciso conviver com a desconfiança dos soldados invasores. Quem permaneceu vivo não tinha outra coisa a fazer a não ser lutar pela sobrevivência. A vida civilizada desapareceu, vagava-se entre as ruínas fugindo de tiros e procurando comida. Pelo caminho, restos, cadáveres, sobreviventes e soldados, a maioria russos - ansiosos por vingança depois da recente devastação de seu país. 

A autora descreve os efeitos da guerra: "[Será mesmo] uma reconstrução promissora, com sete milhões de membros do Partido Nazista disfarçados como nosso capital democrático inicial?"

A origem de Cinderela com o meu crochet

A origem de Cinderela com o meu crochet

A origem de Cinderela com o meu crochet

A origem de Cinderela com o meu crochet


Este Hexágono foi confeccionado sob a influência dos meus estudos sobre a Teoria do Caos e Complexidade, por isso essa forma geométrica que me lembra um floco de neve, um Fractal, mas essa explicação fica para outro dia, abaixo a origem da Cinderela, que de todos os contos de princesas é um dos que mais gosto, talvez pelo enredo, da menina pobre que se casa com o príncipe, uma ideologia universal feminina, pelo menos em alguma fase de sua vida.

Sua origem tem diferentes versões. A versão mais conhecida é a do escritor francês Charles Perrault, de 1697, baseada num conto italiano popular chamado A Gata Borralheira. 
A mais antiga é originária da China, por volta de 860 a.C. .
Existe também a dos Irmãos Grimm, semelhante à de Charles Perrault. Nesta, porém, não há a figura da fada-madrinha e quem favorece a realização do desejo de ir ao baile são os pombos e a árvore. 
Neste caso, Cinderela sabe palavras mágicas, usadas no imperativo, que auxiliam na transformação de seu pedido em realidade. No final, as irmãs malvadas ficam cegas ao terem seus olhos furados por pombos. 
Segundo outras versões a figura da fada madrinha na verdade é o espírito da falecida mãe da própria protagonista que trazia um vestido do céu para Cinderela usar no baile. 
Psicanalistas vêem na história de Cinderela muito mais do que uma simples trama romântica. Por ter origem atemporal e ter surgido em várias civilizações diferentes, a trajetória da protagonista traduziria uma espécie de arquétipo fundamental, traduzindo o anseio natural da psiquê humana em ser reconhecida especial e levada a uma existência superior. 
A literatura e o cinema, cientes disso, utilizaram-se de seu arco dramático para o desenvolvimento de inúmeras outras obras de apelo popular. 
Além das animações de Walt Disney - que sempre buscaram inspiração nos contos de fadas - merece destaque o filme Uma linda mulher, protagonizado por Julia Roberts, e que foi sucesso de bilheteria nos anos 1990.
O nome do conto provém de Cinderella, que por sua vez origina-se da palavra Cinder (borralho em inglês) mais o sufixo feminino ella.
O nome então fora inventado por suas irmãs pelo fato de Cinderela estar sempre cheia de sujeira e borralho no rosto, já que limpava a casa e nas horas vagas gostava de ficar em frente à lareira.
O nome do conto é muitas vezes traduzido para A Gata Borralheira, ou mesmo O Sapatinho de Vidro já que só por causa deste objeto o príncipe soube identificar Cinderela.

Corações apaixonados que não irão ser deixados para trás

Corações apaixonados que não irão ser deixados para trás

Corações apaixonados que não irão ser deixados para trás


Corações apaixonados que não irão ser deixados para trás

Quem não gosta de corações em crochet, eles ficam lindos sempre, disponibilizo os Blog e sites onde encontrei os gráficos, vídeos e receitas de vários corações, além de posts deste Blog de Corações em crochet:
Mini Coração em crochet
Corações apaixonados que não irão ser deixados para trás

Coração Médio
Corações apaixonados que não irão ser deixados para trás

http://www.titacarre.com/2014/01/mais-um-coracao-em-crochet.html

Faça a sua encomenda acessando o botão da minha loja,
Elo7

 e não podia deixar de falar sobre o livro A garota que você deixou para trás, é muito bom, a sinopse está abaixo:

Durante a Primeira Guerra Mundial, o jovem pintor francês Édouard Lefèvre é obrigado a se separar de sua esposa, Sophie, para lutar no front. Vivendo com os irmãos e os sobrinhos em sua pequena cidade natal, agora ocupada pelos soldados alemães, Sophie apega-se às lembranças do marido admirando um retrato seu pintado por Édouard. Quando o quadro chama a atenção do novo comandante alemão, Sophie arrisca tudo — a família, a reputação e a vida — na esperança de rever Édouard, agora prisioneiro de guerra. Quase um século depois, na Londres dos anos
2000, a jovem viúva Liv Halston mora sozinha numa moderna casa com paredes de vidro. Ocupando lugar de destaque, um retrato de uma bela jovem, presente do seu marido pouco antes de sua morte prematura, a mantém ligada ao passado. Quando Liv finalmente parece disposta a voltar à vida, um encontro inesperado vai revelar o verdadeiro valor daquela pintura e sua tumultuada trajetória. Ao mergulhar na história da garota do quadro, Liv vê, mais uma vez, sua própria vida virar de cabeça para baixo. Tecido com habilidade, A garota que você deixou para trás alterna momentos tristes e alegres, sem descuidar dos meandros das grandes histórias de amor e da delicadeza dos finais felizes.

Uma Barbie Fada e um Square Rosa


Uma Barbie Fada e um Square Rosa

Uma Barbie Fada e um Square Rosa

Uma Barbie Fada e um Square Rosa

Uma Barbie Fada e um Square Rosa

A fada é um ser mitológico, característico dos mitos célticos, anglo-saxões, germânicos e nórdicos.
O primeiro autor que mencionou as fadas foi Pompônio Mela, um geógrafo que viveu durante o século I d.c. As fadas também são conhecidas como sendo as fêmeas dos elfos. 
O termo incorporou-se a cultura ocidental a partir dos assim chamados "contos de fadas". Nesse tipo de história, a fada é representada de forma semelhante a versão clássica dos elfos de J.R.R. Tolkien, porém apresentando "asas de libélula" as costas e utilizando-se de uma "varinha de condão" para realizar encantamentos.

Dependendo da obra em que aparece, a fada pode ser retratada em estatura de uma mulher normal ou diminuta. No primeiro caso, temos a fada de Cinderela. Como exemplo da segunda representação podemos citar "Sininho", do clássico infantil "Peter Pan", de J. M. Barrie.

O escritor e folclorista inglês Joseph Ritson, na sua dissertação On Faries, definiu as fadas como uma espécie de seres parcialmente materiais, parcialmente espirituais, com o poder de mudarem a sua aparência e de, conforme a sua vontade, serem visíveis ou invisíveis para os seres humanos.

Embora além da percepção das pessoas comuns, as fadas continuariam a existir em nosso mundo. Tal afirmação é feita à luz de diversos testemunhos declarividência, de fenômenos paranormais e parapsicológicos que atestariam a realidade do "mundo invisível" onde supostamente vivem fadas e outros "espíritos mágicos da Natureza" (Coelho, 1987, pp. 36–7). Nas palavras de Schoereder (s/d., p. 21):

São numerosos os relatos de pessoas que dizem ter observado seres estranhos, supostamente vindos de planos paralelos de existência.

E você, acredita em Fadas????



Crochet, Música Wave de Tom Jobim


Crochet, Música e som com  Wave de Tom Jobim

Crochet, Música e som com  Wave de Tom Jobim

Crochet, Música e som com  Wave de Tom Jobim




A música (do grego μουσική τέχνη - musiké téchne, a arte das musas)1 é uma forma de arte que se constitui basicamente em combinar sons eritmo seguindo uma pré-organização ao longo do tempo.

É considerada por diversos autores como uma prática cultural e humana. Atualmente não se conhece nenhuma civilização ou agrupamento que não possua manifestações musicais próprias. Embora nem sempre seja feita com esse objetivo, a música pode ser considerada como uma forma de arte, considerada por muitos como sua principal função.
E coloco aqui para você, uma música bem conhecida do Tom Jobim, que é lindaaaaaaaa, espero que gostem...



Vou te contar
Os olhos já não podem ver
Coisas que só o coração pode entender
Fundamental é mesmo o amor
É impossível ser feliz sozinho

O resto é mar
É tudo que não sei contar
São coisas lindas que eu tenho pra te dar
Vem de mansinho à brisa e me diz
É impossível ser feliz sozinho

Da primeira vez era a cidade
Da segunda o cais e a eternidade

Agora eu já sei
Da onda que se ergueu no mar
E das estrelas que esquecemos de contar
O amor se deixa surpreender
Enquanto a noite vem nos envolver

Vou te contar

Um pouco de moda com crochet

Um pouco de moda com crochet

Um pouco de moda com crochet

Moda é a tendência de consumo da atualidade. A palavra moda significa costume e provém do latim modus.1 É composta de diversos estilos que podem ter sido influenciados sob vários aspectos. Acompanha o vestuário e o tempo, que se integra ao simples uso das roupas no dia-a-dia. É uma forma passageira e facilmente mutável de se comportar e sobretudo de se vestir ou pentear.


"Embora tenham sido encontradas agulhas feitas de marfim, usadas para costurar pedaços de couro, que datam cerca de 40 000 a.C., ou mesmo evidencias de que o tear foi inventado há cerca de 9 000 a.C., só podemos pensar em moda em tempos muitos mais recentes. Ela se desenvolve em decorrência de processos históricos que se instauram no final da Idade Média (século XIV) e continuam a se desenvolver até a chegar ao século XIX. É a partir do século XIX que podemos falar de moda como a conhecemos hoje (POLLINI, 2007).


A moda nos remete ao mundo esplendoroso e único das celebridades. Vestidos deslumbrantes, costureiros famosos, tecidos e aviamentos de ultima geração. Não nos leva a pensar que desde a pré-história o homem vem criando sua moda, não somente para proteger o corpo das intempéries, mas como forma de se distinguir em vários outros aspectos tais como sociais, religiosos, estéticos, místicos ou simplesmente para se diferenciar individualmente.


A moda passou por várias transformações, muitas vezes seguindo as mudanças físicas e principalmente sociais que ocorreram dentro de um determinado período.


A moda pode ser considerada o reflexo da evolução do comportamento. Uma espécie de retrato da comunidade. É uma linguagem não verbal com significado de diferenciação. Instiga novas formas de pensar e agir."

No início do século XXI a moda parece marcada por duas máximas: "nada se cria, tudo se copia" e "a moda vai e vem".

E você concorda com a frase acima???

A flor tecida para a Princesa Playmobil

A flor em crochet da Princesa Playmobil

A flor em crochet da Princesa Playmobil

A flor em crochet da Princesa Playmobil

Os Playmobils fizeram parte da minha infância, adorava, tinha muitos, e claro, não tinha o valor comercial que tem hoje, essa Princesa, é da minha filha, que ganhou, porque eu sou muito nostálgica, hihihihihi, mas ela prefere as Barbies, e as panelinhas...

O Playmobil é uma linha de brinquedos criada por Hans Beck (1929 - 2009) em 1974 e vendida mundialmente a partir de 1975. A linha consiste em pequenos bonecos com partes móveis e uma série de objetos, veículos, animais e outros elementos com os quais esses bonecos irão se integrar compondo uma série de cenários, sempre dentro de uma temática específica.

Na Alemanha, são produzidos pelo grupo Brandstätter (geobra Brandstätter GmbH & Co KG), sediado em Zirndorf. A empresa, fundada em1876 por Andreas Brandstätter em Fürth, Baviera, inicialmente produzia cadeados. Em 1921, produzia principalmente brinquedos metálicos como porquinhos mealheiros, telefones e caixas registradoras. Em 1954, a produção mudou para artigos plásticos.

Atualmente o Playmobil é fabricado também em outros países além da Alemanha, entre eles Inglaterra, Chipre, Malta, Espanha, Japão,Estados Unidos e Argentina.

Nas décadas de 1970 e 1980 o brinquedo foi fabricado no Brasil pela empresa Trol.

Após a falência desta, passou a ser fabricado pela Estrela, na década de 1990.

Em 2005, após longa ausência no país, a Calesita começou a importar da Argentina, onde são produzidos pela Antex sob licença da Geobra.1

A partir de 2008, o brinquedo voltou ao país através de importação diretamente da Alemanha feita pela Sunny Brinquedos.

Em junho de 2009, foi criado por César Ojeda o PlayBrasilMobil, o primeiro Fórum brasileiro sobre Playmobil, com o intuito de agregar os fãs e colecionadores, além de difundir novamente o brinquedo e organizar exposições e eventos no país, contando com o apoio oficial da Sunny Brinquedos.

Quem quiser saber mais acesse o site do Playmobil.

As 1001 noites e um Hexágono em crochet

As 1001 noites e um Hexágono em crochet

As 1001 noites e um Hexágono em crochet

Os hexágonos são ótimos, e já fiz uma Big colcha usando essa forma geométrica, não está acima, mas bem parecida, a diferença são os 5 círculos dentro da forma, podem ver melhor abaixo:



E um pouco sobre as 1001 noites, para quem não conhece...

As Mil e Uma Noites (em árabe: كتاب ألف ليلة وليلة; transl.: Kitāb 'alf layla wa-layla, "O Livro das Mil e Uma Noites"; em persa: هزار و یک شب; transl.: Hezār-o yek šab) é uma coleção de histórias e contos populares originárias do Médio Oriente e do sul da Ásia e compiladas em língua árabe a partir do século IX.
No mundo ocidental, a obra passou a ser amplamente conhecida a partir de uma tradução para o francês realizada em 1704 pelo orientalista Antoine Galland, transformando-se num clássico da literatura mundial.
As histórias que compõe as Mil e uma noites tem várias origens, incluindo o folclore indiano, persa e árabe. Não existe uma versão definida da obra, uma vez que os antigos manuscritos árabes diferem no número e no conjunto de contos.
O que é invariável nas distintas versões é que os contos estão organizados como uma série de histórias em cadeia narrados por Xerazade, esposa do rei Xariar. Este rei, louco por haver sido traído por sua primeira esposa, desposa uma noiva diferente todas as noites, mandando-as matar na manhã seguinte. Xerazade consegue escapar a esse destino contando histórias maravilhosas sobre diversos temas que captam a curiosidade do rei.
Ao amanhecer, Xerazade interrompe cada conto para continuá-lo na noite seguinte, o que a mantém viva ao longo de várias noites - as mil e uma do título - ao fim das quais o rei já se arrependeu de seu comportamento e desistiu de executá-la.

Lista das histórias:


  • O mercador e o Efreet 
  • O pescador e o Marid 
  • A História de Mobarak 
  • Aladim e a Lâmpada Maravilhosa 
  • A Aventura de Judar 
  • Almaz, o Príncipe Brilhante 
  • As Botas de Karam 
  • Ali Babá e os Quarenta Ladrões 
  • Aventura nos Sete Mares 
  • História do mercador e do gênio 
  • O Príncipe Narigudo 
  • Omar e Yasmin 
  • Os Príncipes do Oriente 
  • Simbad

Uma florzinha para Filomena Wonderpen


Uma florzinha para Filomena Wonderpen

Uma florzinha para Filomena Wonderpen
 
Uma florzinha para Filomena Wonderpen

Uma florzinha para Filomena Wonderpen

Uma florzinha em crochet  ainda sem gráfico, usou o livro de Filomena Wonderpen da minha Laura, é uma leitura bem legal para as pequenas, que gostam de magia, abaixo coloco a sinopse do livro:

Oi, eu sou a Filomena Wonderpen. Estou cheia de ideias novas e maravilhooooosas para desenhar com minha caneta mágica! 

Hoje não é um dia comum para mim. Todo o pessoal da minha escola está em um acampamento! Natureza, jogos, brincadeiras, meus grandes amigos... Deveria ser o melhor dia da minha vida, certo? Errado! 

O lugar se transformou na maior confusão! Está todo mundo na disputa para ser a Estrela do Acampamento e eu ainda não consegui marcar nem um pontinho! E, para piorar, Sarah Sullivan está tentando roubar a minha amiga Ninna. 

Ui! Como eu vou resolver essa baguuuuunça? 

Como eu sempre faço, oras... Com magia!

Mais algumas flores em crochet:

A princesa e a Ervilha com mais um Square Floral


A princesa e a Ervilha com características de Square em crochet

A princesa e a Ervilha com características de Square em crochet

A princesa e a Ervilha com características de Square em crochet


Um quadradinho a mais sempre tem o seu lugar, já que este é ótimo para vários trabalhos, com flores tudo fica mais bonito.

E deixo um pouquinho sobre a fábula que usei para expor meu crochet:

A princesa e a ervilha é um dos primeiros contos do dinamarquês Hans Christian Andersen, e inicialmente publicado em 1835. Relata a história de um príncipe que desejava casar com uma princesa de verdade, mas ele estava tendo dificuldade em encontrá-la. 
Em certa noite de muita tempestade, bateu à porta do castelo uma moça, dizendo-se uma verdadeira princesa. Porém, devido às condições do tempo, ela estava em péssimas condições, toda molhada e com água escorrendo pelos cabelos.

Para testar se a moça falava a verdade, a rainha a convidou para dormir no castelo. Antes porém, colocou uma ervilha na cama em que a moça iria dormir e, por cima, vários colchões e cobertas. No dia seguinte, ao perguntar à moça como ela tinha passado a noite, recebeu como resposta que a noite tinha sido péssima, porque alguma coisa a havia machucado. 
Com esta resposta, a jovem comprovou ser uma verdadeira princesa, pois somente uma verdadeira princesa poderia ter a pele tão sensível, e casou com o príncipe.
A princesa e a Ervilha com características de Square em crochet


Mais um cenário da série, Conto de Fadas e crochet, tem maiiiiiiiiiiiiiiiiiiissssssssssss...

Círculo colorido e a Guerra de Clara

Círculo colorido e a Guerra de Clara

Círculo colorido e a Guerra de Clara

Círculo colorido e a Guerra de Clara

Círculo colorido e a Guerra de Clara


Estava eu a tentar fazer uma receita, seguindo um gráfico, coisa que detesto, não gosto de seguir coisas já pré-estabelecidas, e não gostei do resultado, mas resolvi postar no Blog, pelo colorido do Círculo que eu adorei, o gráfico está acima, testem e vejam se gostam....
Vou postar semana que vem o que saiu da outra tentativa, a certa, ficou linda, mas diferentemente desta, não segui receita, nem gráfico, segui a minha intuição, que graças, nunca me abandona.
E este livro eu li na semana passada e adorei, não havia assistido o filme, então a minha leitura foi melhor ainda, deixo a sinopse para quem tiver interesse em ler, é muito gostoso de ler...

A incrível história da sobrevivente de um dos períodos mais tristes e violentos que o mundo já presenciou.

Uma mescla de "O Diário de Anne Frank" e "A Lista de Schindler". Assim a imprensa internacional define "A Guerra de Clara", livro baseado no diário da judia polonesa Clara Kramer – escrito em plena Segunda Guerra Mundial, ao longo dos dezoitos meses em que ela e os familiares viveram escondidos no porão da casa de um anti-semita, freqüentada por soldados da SS nazista, que preferiu abrigar uma família judia a vê-los morrer. Hoje octogenária, a autora retoma, com a ajuda do escritor Stephen Glantz, sua dramática trajetória em meio à insanidade do holocausto. Dos cinco mil judeus que habitavam Zolkiew antes da guerra, menos de sessenta sobreviveram – alguns, como Clara, para lembrar histórias que a Humanidade jamais deveria esquecer.

E Você arriscaria a sua vida para salvar a vida de um refugiado de guerra?

Selo ouro

Selo ouro
circulo selo ouro no blog de croche da tita carre

Parceria

Parceria
parceria da editora minuano com a tita carre

Visite

Visite
melhor do artesanato no blog da tita carre